Aqui está a minha vida...

... esta areia tão clara com desenhos de andar dedicados ao vento.

Cecília Meiréles

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Eco-Lixeira ou como as pessoas não conseguem fazer aquilo que o Gervásio consegue...





Tenho três lixeiras a céu aberto perto de minha casa. Quero dizer, ecopontos. Mas, lixeiras.




Sempre que venho das compras, a mesma rotina: desempacotar, arrumar e tratar de quilos de embalagens que, quando não posso reutilizar, separo para a reciclagem. Ora, até aqui a rotina até se faz bem. O problema vem mais tarde...

Munida de três sacos - com plásticos, vidro e papel - lá vou eu até ao ecoponto. E eis o que encontro... uma autentica lixeira! E, o pior... nota-se que os contentores estão completamente vazios.

Ora, eu cá com os meus 148cm, um verdadeiro nanico de gente - quase pigmeu - dou voltas e mais voltas, estico-me toda... e nada. Não chego a nenhum contentor. Mas, eu recuso-me a ser uma badalhoca (perdoem-me, mas este é o adjectivo que mais se adapta àqueles que fazem o que o Gervásio, com certeza não faria, que é deitar os sacos lá para o monte). Então, lá volto eu - quase anã - a esticar-me como se fosse qualquer coisa feita de borracha.

Sujei-me toda. Porque caí no meio daquela nojeira imensa, as minhas mão tocaram nos contentores cheios de gordura e outras porcarias (eu ia escrever outra coisa, mas desisti a tempo...). E, todos sabem que eu sofro de uma patologia muito chata que me obriga a estar sempre a lavar as mãos, a desinfectar-me, a limpar tudo... a fugir a sete pés de tudo o que é imundice, por isso, imaginem como eu fiquei.

Ora... o fígado. Pois, o fígado. O tal fígado!!! Desatei a praguejar, furiosa no meio da rua. Não é possível: esta cidade transformou-se numa lixeira autorizada! E ninguém faz nada!!! Sem ser os desgraçados dos empregados da câmara que lá vêm, sempre que podem, limpar os que os porcos* sujam. É ser tãããão frustrante...

Ora vamos lá ver se nos entendemos: se um macaco consegue... será que é assim tão complicado uma pessoa acertar com a porcaria do contentor???

[*os porcos que me perdoem, eu sei que são muito mais limpos que o ser humano, tal como os macacos são muito mais inteligentes...]

4 comentários:

Miguel disse...

Desculpa lá a pergunta mas quem é o Gervásio?

Atena disse...

Isso é que é dizer o que lhe vai na alma... gosto imenso de a "ouvir".
(Já agora, tb fiqueí curiosa com o Gervásio, é o porco ou o macaco?)

Fê-blue bird disse...

Eu também fico assim...furiosa e revoltada, vai levar ainda muito tempo para alguns portugueses( os tais "porcos")aprenderem as regras da boa educação e serem civilizados!
Uma tristeza!
Já agora Miguel, o Gervásio era o macaco da publicidade à reciclagem...já lá vão uns aninhos :)

http://www.youtube.com/watch?v=x9Frmy9oqE8

Anónimo disse...

Pelo que estou a ver, não é só nos eco-pontos à frente de minha casa que se passa o mesmo.....é um HORROR!Um NOJO!....
Já pensei por um cartaz com letras bem gordas ;>, a dizer:
"Oportunidade a não perder"
Quem "ACERTAR" nos respectivos buracos,LEVA UM BRINDE....
e uma seta bem grande a indicar o buraco de cada eco-ponto...
Eu bem praguejo,falo alto, digo o que não devo, mas não tem servido de nada!
Não há mesmo civismo!...

 
Designed by Susana Lopes